segunda-feira, 15 de junho de 2015

Avaliação de Fornecedores de Casamento em Brasília-DF (Opinião do Noivo!)

Olá,

Este blog está meio abandonado devido a outros projetos que me tomaram a prioridade, mas um evento recente me inspirou a fazer este post. Casei em 16 de maio de 2015 com o grande amor da minha vida, a Karolina. E como eu participei ativamente da organização do casamento, fazendo a maioria das contratações, resolvi fazer uma avaliação brutalmente honesta dos fornecedores que contratamos.

Conseguimos acertar muito mais do que errar e creio que este texto pode ajudar noivas e noivos, principalmente de Brasília-DF, que estão se preparando para o seu grande dia. Espero que seja útil para você que vai se casar em breve ou está pensando em dar este passo importantíssimo na sua vida.

Cerimônia e recepção realizadas na Mansão Mabel. Foto: Senna Fotografias
 PS 1: Detalhes técnicos do casamento: ocorreu em um sábado; 150 convidados; cerimônia (ao ar livre) e recepção no mesmo local; vários convidados vindos de outros estados (questões de logística incluídas); horário do convite para a cerimônia: 19h30; horário de término da festa: 1h.

PS 2: Critérios de avaliação dos fornecedores: atendimento pré-venda, qualidade no serviço prestado, atendimento pós-venda, resolução de imprevistos.

PS 3: Não foram avaliados os fornecedores específicos da noiva, pois só a Karol poderia fazer isso, como por exemplo, aluguel do vestido da noiva, salão no Dia da Noiva... Também não avaliei as Lembrancinhas de Casamento.

Os fornecedores serão classificados em 5 categorias:
1 Estrela: Fuja deles. Se arrependimento matasse, Karol já era viúva.
2 Estrelas: Pode até ter um bom marketing, mas deixa a desejar em vários aspectos. Se quiser contratar, é por sua conta e risco.
3 Estrelas: Boa relação custo-benefício. Até há concorrentes com mais renome e experiência, mas com preços impeditivos para a maioria dos casais.
4 Estrelas: Fizeram bem o seu trabalho e ajudaram a nossa festa a ser um sucesso.
5 Estrelas: Superaram expectativas. Pode contratar sem medo. Recomendo muito!


1 Estrela: Fuja deles. Se arrependimento matasse, Karol já era viúva.

Trajes de noivo - BROSSMAN (Pátio Brasil)
Faltando pouco tempo para o casamento, vi que sobraria dinheiro para comprar meu terno (não precisaria alugar). Pesquisei apenas lojas dos shoppings, devido à praticidade. O costume (blazer + calça) mais bonito que encontrei, de acordo com o meu gosto, estava na vitrine da Brossman, do shopping Pátio Brasil. Como não sou de muitos rodeios, experimentei, defini os ajustes que queria e comprei. Na entrega, começou a várzea: entregaram o terno com um erro grave no comprimento do punho e sem terem retirado nenhuma etiqueta da calça nem do blazer. Pedi urgência na correção dos erros deles, pois já faltava uma semana para o casório. Fui mal atendido, a gerente achou que estava fazendo um favor ao consertar a caca que a loja fez (típica atitude dos maus comerciantes de Brasília) e me entregou novamente com atraso. Na hora da entrega final, o blazer ainda tinha uma mancha de caneta na manga. Amadorismo completo. Só não digo que nunca mais passarei nem na frente dessa loja, porque ela fica na saída da escada rolante do shopping (mas vou me esforçar para, sempre que possível, subir pelo outro lado).
*** O colete e a gravata para o meu traje completo eu comprei na ARAMIS MENSWEAR, do Conjunto Nacional. Lá, ocorreu tudo bem. A camisa, eu já tinha.


2 Estrelas: Pode até ter um bom marketing, mas deixa a desejar em vários aspectos. Se quiser contratar, é por sua conta e risco.

Lista de casamento - CAMICADO (Iguatemi)
A Camicado tem excelentes produtos e é possível fazer uma lista que atenda todos os bolsos (nossa lista tinha produtos de R$21,90 a R$499). O problema é fazer a loja cumprir o combinado e se adequar à realidade dos noivos. Para começar, a loja oferece duas modalidades de listas de casamento: na primeira, os convidados escolhem os presentes na lista formulada pelos noivos e os pombinhos recebem o valor dos presentes em forma de crédito, podendo ir à loja escolher o que querem levar para casa; na segunda, os convidados escolhem os presentes da lista formulada pelos noivos e a Camicado entrega os presentes no endereço que os noivos escolherem. Escolhemos a segunda opção. Porém, várias falhas ocorreram no caminho. Primeiro, ficamos algumas horas na loja escolhendo os produtos para a lista e depois descobrimos que o sistema não registrou nenhuma das nossas escolhas e precisamos montar novamente a lista, a partir do zero, no computador. Depois, o site da loja não computou a compra de um presente e acabamos ganhando ele duas vezes. Terceiro, não pudemos escolher a data de entrega e a loja fez "o favor" de marcar a entrega para um dia que estávamos em lua-de-mel, bem longe de casa. Ok, sem problemas, pedimos a uma pessoa de confiança para ficar no nosso apartamento no dia combinado, mas ninguém da loja apareceu com os presentes. No meio da lua-de-mel, recebo um e-mail da loja informando que a entrega não havia sido feita e que estava remarcada para outra data (que, por sinal, também estava no período da viagem de lua-de-mel). Na chegada da viagem, encontramos os produtos da entrega, que foi recebida pelo porteiro do prédio. Pegadinha do malandro: apenas um quarto dos produtos foram entregues. Tivemos que esperar mais 10 dias para recebermos os demais presentes. Porém, na entrega seguinte, ainda faltaram vários outros presentes que até agora não recebemos. Pelo jeito, teremos que ir à loja e fazermos, nós mesmos, o transporte destes últimos presentes. Achei lamentável a loja combinar uma coisa conosco e nos dar um tratamento bem diferente do que foi acordado.

Doces e bolo para casamento - MÃO DOCE ENCOMENDAS
Ficamos impressionados com a qualidade dos doces desta empresa quando fizemos a degustação. O bolo era apenas mediano, mas os doces (e a "promoção") nos fizeram contratar. Coloquei "promoção" entre aspas porque era apenas uma falsa escassez. Na semana que escrevo este post, vi que os preços do dia que eu contratei ainda continuam os mesmos. Mas enfim, o preço estava bom... O problema veio mais tarde. Contratei bolos, doces, bem-casados e maquete (posteriormente) com esta mesma empresa. No dia do casamento, algumas horas antes, chego ao local da festa para ver se está tudo ok e vejo ali uma única falha grotesca. A maquete estava diferente da que escolhemos. Como não compramos topo de bolo (os famosos noivinhos), pedi uma maquete com um "topo", uma flor de enfeite que cobrisse a parte de cima da maquete para que não ficasse um vazio. Das 10 opções de maquete oferecidas, escolhemos justo uma das duas que tinham este topo e na hora do "vamos ver" não foi entregue. Foi meu único momento de stress naquele dia. Liguei para resolver e a proprietária resistiu enquanto pôde, dando uma série de desculpas para não entregar o topo da maquete, de acordo com o que Karol e eu havíamos escolhido. De forma alguma, ela assumia o seu erro e nem se mostrava disposta a consertá-lo. Pelo contrário, chegou a sugerir que eu buscasse outros setores da festa, como a decoradora e a cerimonialista, para arrumar a bobagem que ela havia feito. Infelizmente, foi mais um caso onde o fornecedor acreditou estar "fazendo um favor" ao entregar aquilo para o qual havia sido contratado (e previamente pago!). Economizei uma grana, mas não valeu a pena pelo aborrecimento. Passei por um stress desnecessário justo no dia que eu precisava de mais tranquilidade, por tudo o que já havia passado para chegar lá.


Detalhe do brinde dos noivos. Foto: Senna Fotografias
3 Estrelas: Boa relação custo-benefício. Até há concorrentes com mais renome e experiência, mas com preços impeditivos para a maioria dos casais.

Convites de casamento - ELO7
Compramos nossos convites pelo site ELO7. Fizemos um teste comprando alguns convites iniciais para conferir se o prazo de entrega seria cumprido e se o produto tinha a qualidade que propagandeava na internet. Na primeira leva, deu tudo certo e os convites foram muito elogiados pelos convidados, inclusive. No segundo pedido, a entrega atrasou e quase foi tudo por água abaixo, pois viajamos para entregar convites a amigos que moram longe de Brasília e a encomenda chegou somente poucas horas antes do nosso voo. Foi por pouco! Para economizar, creio que a dica é excelente. O produto tem boa qualidade, é muito mais barato do que mandar fazer em gráficas e o nosso objetivo foi plenamente atendido. Só não ganhou 4 Estrelas por causa do susto na segunda entrega, que realmente foi grande.

Cerimonialista - ANA CLÁUDIA CERIMONIAL
Seu trabalho e da sua equipe no dia do casamento foi fundamental. Faríamos muita coisa errada na cerimônia se ela não estivesse lá para dar as coordenadas. Antes disso, tivemos pouco contato. Como a Karol e eu temos muita proatividade com projetos de nosso interesse (e o casamento foi exatamente isso), acabamos fazendo tudo sozinhos e só comunicávamos à Ana Cláudia depois de já termos definido as coisas. Então, ela não participou dos preparativos, com indicações de fornecedores e outras coisas. Seu papel fundamental foi na semana do evento, fazendo a checagem final com os demais fornecedores, e no nosso grande dia conduzindo o roteiro do nosso casório.

Animação da festa - DJ Leonardo (A Mansão Mabel só trabalha com este profissional)
Pelo contrato, tocou 2 horas na festa. Antes dele, preferimos uma dupla de voz e violão. O DJ me atendeu muito bem quando fui ao seu escritório fechar contrato, foi solícito com as sugestões de repertório e montou toda a estrutura com um dia de antecedência no local da festa. Tudo ocorreu bem, mesmo que na festa ele tenha enviado um de seus auxiliares para comandar o som.

Lua de mel - OTUR TURISMO (através do site Hotel Urbano)
Compramos um pacote na Black Friday de 2014 no site Hotel Urbano. Fomos a Lisboa e Barcelona por 8 dias pagando menos do que o mesmo período em um resort no Nordeste brasileiro. Adoro viajar pelo Brasil, mas conhecer outras culturas para nós foi muito bom. O trabalho da agência Otur Turismo neste pacote foi muito bem feito. Apenas seguimos o passo-a-passo que nos passaram e a viagem foi tranquila, em todos os aspectos, e muito bem aproveitada.

Aliança do casamento - ALIANÇAS E SERVIÇOS (Pátio Brasil - subsolo)
Essa foi um achado! A Karol pesquisou bastante para encontrar alianças bonitas e que não precisássemos vender um rim para comprar um par. Encontramos nesta loja um dos pares de alianças mais bonitos e por um preço muito inferior ao da concorrência. Chegava a ser metade do valor que outras lojas especializadas cobravam pela mesma aliança. Pagamento também foi facilitado em 10 vezes, já com a gravação dos nossos nomes incluída.

Vestidos de festa - DONDOCA MODAS e XANDOCA (ambas no Gama Shopping)
Eu sei, o nome das lojas não ajuda e não inspira confiança, a menos que você more no Gama e conheça as duas. Pesquisamos bastante para definirmos onde comprar os vestidos para pessoas muito especiais na festa (as mães dos noivos e a minha irmã). Fomos bem atendidos em ambas as lojas e encontramos roupas que combinaram perfeitamente com estas 3 senhoras, que, por sinal, se destacaram na cerimônia e na festa. Preço consideravelmente inferior ao de lojas do Plano Piloto e de Taguatinga (sim, caiu o mito da cidade mais barata do DF!) e qualidade do material no mesmo nível ou superior às marcas de referência.

Amigos brindando com os noivos. Foto: Senna Fotografias
4 Estrelas: Fizeram bem o seu trabalho e ajudaram a nossa festa a ser um sucesso.

Fotografia e filmagem do casamento - SENNA FOTOGRAFIAS
Aqui chegamos em um ponto crítico do casamento: a contratação do fotógrafo. Para a Karol, o álbum era muito importante. Enquanto eu fazia questão de uma boa filmagem. Conseguir isso aqui em Brasília, para um casamento, vai custar alguns milhares de reais. Os fotógrafos, ditos de referência, cobram valores $urreais pelo seu trabalho e é natural recebermos orçamentos acima de R$10 mil. Nesta busca, encontramos o Senna que se encaixou exatamente no que a gente necessitava. É um bom fotógrafo, tem um excelente atendimento, dá dicas valiosas para ajudar os noivos a serem "bons modelos", cobra bem mais barato do que a grande maioria dos fotógrafos do mesmo nível dele (recomendo visitar o seu escritório e ver os seus álbuns) e facilita muito o pagamento (foi o único que sugeriu pagamento parcelado em 10 vezes, mesmo faltando apenas 4 meses para o casamento).

Bebidas casamento - EMPÓRIO DA CERVEJA / SUPER ADEGA
Essa foi uma questão estritamente pessoal. Como tenho amigos que gostam de uma boa cerveja, resolvi oferecer a uruguaia Norteña para os convidados. Comprei pela internet, no site Empório da Cerveja, fazendo um teste inicial de apenas 6 garrafas. Como deu tudo certo com o transporte e prazo de entrega, fiz o pedido oficial de mais 100 garrafas. Para o público feminino, comprei garrafas de Smirnoff Ice na Super Adega, supermercado de Brasília especializado em bebidas. Também na Super Adega eu comprei espumante, exclusivamente para o brinde com os noivos. Como boa parte dos convidados não bebia, sobrou bastante bebida, mas o mais importante é que não faltou e todos foram bem servidos até o fim da festa. Neste quesito, tudo deu certo. Foi um esforço mais pessoal meu do que propriamente dos fornecedores.

Espaço casamento - MANSÃO MABEL
Depois de muito pesquisarmos, escolhemos a Mansão Mabel para sediar a nossa cerimônia e a recepção. O critério que desempatou a favor deste local foi a beleza do jardim para a celebração civil. Porém, a contratação do buffet e do DJ da casa é obrigatória, o que limita opções e encarece um pouco o valor do pacote. O local aceita festa até 2h da manhã, por ficar dentro de um condomínio residencial, portanto a cerimônia deve começar, no máximo, às 20h (horário do convite). Sem decoração, a Mansão Mabel já é muito bonita e não tivemos muita dificuldade em escolhê-la após compará-la com outras 15 opções visitadas. É uma excelente escolha para cerimônias em qualquer horário. Há lugares mais bonitos em Brasília, mas extremamente caros. O salão para a recepção é simples, mas com boa decoração também fica muito bonito. A suíte dos noivos também é bem simples, mas este não era um critério importante para nós. Creio que nossa escolha foi acertadíssima. Só não ganhou 5 estrelas por problemas de atendimento durante os preparativos para o casamento.

Buffet casamento - MANSÃO MABEL
Entre todos os buffets que provamos e pesquisamos valores, o da Mabel foi o segundo mais caro. Era o preço a pagar pela escolha do espaço. Durante a degustação, pude conferir que a qualidade da comida seria muito boa durante a festa. Não recebi reclamações. Minha primeira ideia era oferecer entradas e buffet. Na semana do evento, troquei o buffet por 4 empratados por causa da praticidade. O grupo de garçons era muito eficiente e serviu bem a todos (fiz questão de me certificar com os convidados durante a festa). O maitre também se mostrou solícito e um garçom acompanhou a noiva em todos os momentos da festa. Quanto ao buffet, nada a reclamar. Só não ganhou 5 estrelas devido ao preço elevado, mas esse é um problema geral de Brasília.

Banda Soda Sound foi responsável pelo som da cerimônia e por uma parte da recepção.
Foto: Senna Fotografias
5 Estrelas: Superaram expectativas. Pode contratar sem medo. Recomendo muito!

Música de casamento - BANDA SODA SOUND
Simplesmente, os melhores fornecedores que contratei. Cheguei a eles pelo site casamentos.com.br. É uma banda que faz shows de pop rock em Brasília e também atua em casamentos, fazendo a cerimônia e a festa, quando solicitados. Antes de encontrá-los, durante a minha pesquisa, falei com outras bandas de casamento. Todas me pareceram com muita pompa, com discurso de já saberem tudo e cobrando preços fora da minha realidade (em bom português, faltou humildade). A Banda Soda Sound foi o oposto disso. Desde o primeiro contato, foram solícitos e fizeram tudo como nós pedimos. Fizeram o musical da cerimônia (4 instrumentos) e metade da festa (voz e violão). Eu ainda dificultei um pouco a vida da dupla ao pedir, com antecedência, que tocassem músicas de pop e rock gaúcho. Mas, no dia, eles pareciam que já nasceram sabendo o repertório. O preço foi muito bom, considerando a qualidade que eles demonstraram. Excelente atendimento e execução emocionante das músicas que pedimos na cerimônia e na festa.

Decoração casamento - MANSÃO MABEL
A decoração pode ser trazida de fora, mas é altamente recomendada a contratação da decoração local, que possui um preço razoável, é bonita, constantemente atualizada, e tem mobilidade, pois em caso de tempo instável é possível mudar o local da cerimônia com facilidade (no jardim, com tempo seco; ou no salão, em caso de chuva). A nota máxima foi devido ao trabalho final da decoração que ficou realmente bem bonito e de acordo com o que pedimos. Durante a negociação, houve um certo exagero de upsell (venda separada de "novidades" que chegavam para a decoração). Cada vez que íamos ao local, era oferecido algo novo que agregaria um pagamento extra. Seria melhor fazer um pacote básico dando direito à decoração atual e outro diferenciado abrangendo todas as novidades que chegassem ao espaço do momento da contratação até o dia do evento. Eu, particularmente, não gosto que fiquem me pedindo mais dinheiro a toda hora, então tive que dizer não a toda tentativa de me vender algo novo, o que considerei bem chato. Porém, no dia do casamento, nos foi dado de cortesia muitos dos extras que foram oferecidos antes, o que deixou a decoração mais bonita. Foi bom para nós e também para o espaço que foi muito elogiado por todos os convidados pela sua beleza e boa decoração.

Van para transporte de convidados - FAST LOCADORA E TURISMO
Contratei de última hora, quando tive a confirmação de todos os convidados que viriam de fora de Brasília e seus respectivos locais de hospedagem. Só tenho a dizer que o profissionalismo da equipe foi nota 1000, desde o proprietário até o motorista. Os horários foram todos cumpridos e o atendimento também foi excelente.

Gerador de Energia - CENTRO OESTE GERADORES (contratação obrigatória na Mansão Mabel)
Durante todo o dia do evento até o fim da festa não ouvi ninguém pronunciar as palavras "gerador" nem "energia", o que significa que eles fizeram o trabalho deles sem qualquer falha. É como nos jogos de futebol, onde o melhor juiz é aquele que passa despercebido. 

Juiz de Paz - LÍRIO, do CARTÓRIO MARCELO RIBAS, no Venâncio 2000.
Foi a melhor surpresa do casamento. O Juiz emocionou os noivos e convidados com um discurso excelente e inspirador. Todos em Brasília, quando falam em Juiz de Paz, lembram de uma juíza famosa da cidade que tem agenda cheia e é muito requisitada. De fato, ela é ótima. Mas o juiz Lírio não deve nada a ela na condução de uma cerimônia de casamento. Falei com ele por telefone um dia antes do casamento e, muito simpático, combinou comigo detalhes importantes, como a leitura de votos pelo casal. Ficamos muito satisfeitos com a atuação dele, que agregou muito valor a nossa cerimônia.

Cerimônia realizada pelo juiz de paz Lírio, do Cartório Marcelo Ribas. Foto: Senna Fotografias
Bom, espero que este texto tenha ajudado você na escolha (ou não-escolha) de fornecedores de casamento ou outra festa importante que venha a realizar. Talvez você encontre opiniões que divirjam da minha, mas não acredito em milagres. Quem costuma atender bem e entregar o prometido raramente vai falhar. Já quem se importa mais com o seu próprio bolso do que com a satisfação do cliente tende a causar decepção em quem o contrata.

Boa sorte e fique livre para usar o espaço dos comentários!

sexta-feira, 8 de maio de 2015

Boas Fontes de Pesquisa em Comunicação Pública


ASSIS, Luiz Fernandes de. Educando para a cidadania: a experiência da Assembléia Legislativa de Minas Gerais. 1994.

BARROS, Antonio Teixeira de; BERNARDES, Cristiane Brum. A pluralização das fontes de informação política no Brasil: as mídias legislativas. Rumores-Revista de Comunicação, Linguagem e Mídias, v. 2, n. 2, 2009.

BERNARDES, Cristiane Brum. O conceito de jornalismo público nos veículos da Câmara dos Deputados. Revista PJ: Br, São Paulo, v. 5, n. 10, 2008.

BERNARDES, Cristiane Brum; MACEDO, Sílvia Mugnatto. Mudanças nas rotinas de produção do jornalismo da Câmara dos Deputados: o processo de integração das mídias legislativas // CHANGES IN JOURNALISMO ROUTINES OF THE BRAZILIAN CHAMBER OF DEPUTIES: THE PROCESS OF INTEGRATION OF LEGISLATIVE MEDIA. Contemporanea-Revista de Comunicação e Cultura, v. 12, n. 1, p. 125-146, 2014.

BERNDT, Alexander; PINTO, Sandra Souza; MIRANDA, Vera Lúcia Vilanova. Marketing político: dificuldades conceituais. Revista de Administra&ccdeil; ão da Universidade de São Paulo, v. 20, n. 1, 1985.

BEZERRA, Heloisa Dias. Atores políticos, informação e democracia. Opinião Pública, v. 14, n. 2, p. 414-431, 2008.

BRANDÃO, Elizabeth Pazito. Conceito de comunicação pública. DUARTE, Jorge. Comunicação pública: Estado, mercado, sociedade e interesse público. São Paulo: Atlas, p. 1-33, 2007.

BRANT, J. O discreto charme de uma audiência pública. Avaliação: Revista da Rede de Avaliação Institucional da Educação Superior. Campinas: v.6, n.2, p. 69-72, 2001.

CERVI, Emerson Urizzi.Opinião pública e política no Brasil. 2006. Tese de Doutorado. Tese de Doutorado. IUPERJ, 2006.[Links].

CLINIO, Anne; ALBAGLI, Sarita. Apropriação social da internet em ações de mídias táticas: dinâmicas de informação e comunicação. Universidade Federal Fluminense, 2014.

CORDEIRO, Antonio et al. Governo eletrônico e redes sociais: informação, participação e interação. 2012. Disponivel em: . Acesso em:  16 mar  2015.

CORREIA, João Carlos. O papel das redes digitais na configuração epistemológica dos debates de sociedade. Estudos em Comunicação, v. 15, p. 77-92, 2014.

COSTA, Ricardo; PINHEIRO, Wesley Moreira. Eleições 2012: redes sociais enquanto colégio eleitoral na Internet. In: Congresso Brasileiro de Marketing Político. 2011.

DAL BOSCO, Maria Goretti. "Audiência pública como direito de participação." Revista dos Tribunais (2003): 727-739.

DE ASSIS, Érico Gonçalves. Táticas lúdico-midiáticas no ativismo político contemporâneo. Dissertação de Mestrado, 2006.

DE BARROS, Antônio Teixeira; BERNARDES, Cristiane Brum; LEMOS, Cláudia Regina Fonseca. As mídias legislativas e a redefinição da noticiabilidade política no Brasil. Em Questão, v. 14, n. 1, 2008.

DE BARROS, Antonio Teixeira; BRUM, Cristiane. COMUNICAÇÃO, CULTURA E POLÍTICA NAS RÁDIOS DO PODER LEGISLATIVO NO BRASIL. Latin American Research Review, v. 50, n. 1.

DE BARROS, Antonio Teixeira; BRUM, Cristiane. COMUNICAÇÃO, CULTURA E POLÍTICA NAS RÁDIOS DO PODER LEGISLATIVO NO BRASIL. Latin American Research Review, v. 50, n. 1.

DE MATOS, Heloiza Helena Gomes. Comunicação política e comunicação pública. Revista Organicom, v. 3, n. 4, 2011.

DE MATOS, Heloiza Helena Gomes. Comunicação política e comunicação pública. Revista Organicom, v. 3, n. 4, 2011. Disponível em: . Acesso em 16 de março de 2015.

DE MATOS, Heloiza Helena Gomes. Comunicação política e comunicação pública. Revista Organicom, v. 3, n. 4, 2011.

DE PAULA, Melise MV et al. A Visualização de Informação e a Transparência de Dados Públicos. VII Simpósio Brasileiro de Sistemas de Informação, 2011.

DO NASCIMENTO LOCK, Fernando. Participação popular no controle da administração pública: um estudo exploratório. Revista eletrônica de contabilidade, v. 1, n. 1, p. 134, 2004.

DOS SANTOS MEIRA, Paulo Ricardo et al. O Senado Federal e as mídias sociais: o caso da campanha de exortação ao voto consciente. Negócios e Talentos, v. 2, n. 11, 2014.
Disponível em:  Acesso em: 16 mar  2015. 

DUARTE, Jorge. Comunicação pública. São Paulo: Atlas, p. 47-58, 2007.

Educando para a cidadania: a experiência da Assembléia Legislativa de Minas Gerais

FARO, José Salvador. Marshall McLuhan 40 anos depois: a mídia como a lógica de dois tempos. Fronteiras-estudos midiáticos, 2004, 6.2: 57-66.

GALLI, Fernanda Correa Silveira. Linguagem da Internet: um meio de comunicação global. Hipertexto e gêneros digitais: novas formas de construção de sentido. Rio de Janeiro: Lucerna, p. 120-134, 2004.

GARCÍA, José Luis Dader. Ciberdemocracia y comunicación política virtual: el futuro de la ciudadanía electrónica tras la Era de la Televisión. In:Comunicación política en televisión y nuevos medios. Ariel, 2003. p. 309-342.

GIL, Patrícia Guimarães; MATOS, Heloiza. Quem é o cidadão na comunicação pública?. COMUNICAÇÃO PÚBLICA, p. 89.

GOMES, Wilson et al. " Politics 2.0": a campanha online de Barack Obama em 2008. 2009.

GOMES, Wilson. A democracia digital e o problema da participação civil na decisão política. Fronteiras-estudos midiáticos, v. 7, n. 3, p. 214-222, 2005.

GONSALVES, Ana Carolina Soares; MIRANDA, Cecília Fonseca. Como a comunicação pública pode mobilizar a sociedade em prol de um interesse comum: estudo de caso das campanhas “O melhor do Brasil é o brasileiro” e “Poupe energia. 2010.

HOWLETT, Michael. A dialética da opinião pública: efeitos recíprocos da política pública e da opinião pública em sociedades democráticas contemporâneas. Opinião Pública, v. 6, n. 2, p. 167-186, 2000.
http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php?journal=avaliacao&page=article&op=view&path%5B%5D=1149&path%5B%5D=1144
http://www.jforni.jor.br/forni/files/ComP%C3%BAblicaJDuartevf.pdf
http://www.portcom.intercom.org.br/pdfs/783e6552ae7775c83c58acadcbd0563e.PDF
http://www.portcom.intercom.org.br/pdfs/783e6552ae7775c83c58acadcbd0563e.PDF
http://www.revistaorganicom.org.br/sistema/index.php/organicom/article/viewFile/56/190
http://www.unigran.br/revista_juridica/ed_anteriores/08/artigos/10.pdf

ITUASSU, Arthur. Participação, cidadania e ciberdemocracia no Brasil.Revista da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação, E-compós, Brasília, v. 14, n. 2, 2011.

JARDIM, José Maria. A lei de acesso à informação pública: dimensões político-informacionais. 2013.

KUNSCH, Margarida M. Krohling. "Comunicação pública: direitos de cidadania, fundamentos e práticas." Comunicação pública: interlocuções, interlocutores e perspectivas. São Paulo: ECA-USP (2011): 13-22.

KUNSCH, Margarida M. Krohling. Comunicação pública: direitos de cidadania, fundamentos e práticas. Comunicação pública: interlocuções, interlocutores e perspectivas. São Paulo: ECA-USP, p. 13-22, 2011.

KUNSCH, Margarida M. Krohling. Comunicação pública: direitos de cidadania, fundamentos e práticas. Comunicação pública: interlocuções, interlocutores e perspectivas. São Paulo: ECA-USP, p. 13-22, 2011.

LÉVY, Pierre; LEMOS, André. O futuro da Internet: em direção a uma ciberdemocracia. São Paulo: Paulus, 2010.

MACEDO, Silvia Mugnatto; DE BARROS, Antonio Teixeira; BERNARDES, Cristiane Brum. Identidade política e programação das rádios públicas: estudo comparativo de quatro emissoras federais. Fronteiras-estudos midiáticos, v. 14, n. 1, p. 40-51, 2011.

MACHADO, Marcia Benetti; MOREIRA, Fabiane. Jornalismo e informação de interesse público. Revista FAMECOS: mídia, cultura e tecnologia, v. 1, n. 27, 2006.

MAINIERI, Tiago; ARANTES OSTROSKY RIBEIRO, Eva Márcia. A comunicação pública como processo para o exercício da cidadania: o papel das mídias sociais na sociedade democrática. Revista Organicom, v. 8, n. 14, 2012. Disponível em: . Acesso em: 16 mar. 2015.

MAINIERI, Tiago; ARANTES OSTROSKY RIBEIRO, Eva Márcia. A comunicação pública como processo para o exercício da cidadania: o papel das mídias sociais na sociedade democrática. Revista Organicom, v. 8, n. 14, 2012.

MARQUES, F. P. J. A., de AQUINO, J. A., & MIOLA, E. (2014). Deputados brasileiros no Twitter.

MATOS, H. Comunicação pública: democracia e cidadania. Texto apresentado no I Seminário de Comunicação Legislativa. Brasília: Senado Federal, 1998. OLIVEIRA, MJ (org.) Comunicação pública. Campinas: Editora Alínea, p. 80-86, 2004. 

MATOS, Heloiza. "Comunicação pública, democracia e cidadania: o caso do Legislativo." Líbero: revista do Programa de Pós-Graduação da Faculdade Cásper Líbero, São Paulo 2.3-4 (1999).

MATOS, Heloiza. "Comunicação pública, democracia e cidadania: o caso do Legislativo." Líbero: revista do Programa de Pós-Graduação da Faculdade Cásper Líbero, São Paulo 2.3-4 (1999): 32-37.

MORAN, José Manuel. "Como utilizar a Internet na educação." Ciência da informação 26.2 (1997).

NETO, Ivo Emanuel Campos Machado. Os desafios dos média sociais na comunicação organizacional: a emergência do Facebook como ferramenta de comunicação. 2011.

NOVELLI, Ana Lucia Coelho Romero. "O papel institucional da comunicação pública para o sucesso da governança." Revista Organicom 3.4 (2011).

NOVELLI, Ana Lucia Coelho Romero. O papel institucional da comunicação pública para o sucesso da governança. Revista Organicom, v. 3, n. 4, 2011.

PINHO, José Antonio Gomes de. Investigando portais de governo eletrônico de estados no Brasil: muita tecnologia, pouca democracia. Revista de Administração Pública, v. 42, n. 3, p. 471-493, 2008.

QUEIROZ, Adolpho. De Debret a Nizan: a construção da imagem pública dos governantes. Intercom-Revista Brasileira de Ciências da Comunicação, v. 22, n. 1, 2012.

QUELER, Jefferson Jose. Entre o mito e apropaganda politica: Janio Quadros e sua imagem publica (1959-1961). 2008. Tese de Doutorado. Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas.

RAMOS, José Mario Ortiz; BUENO, Maria Lucia. Cultura audiovisual e arte contemporânea. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 15, n. 3, p.281-295, 2001. Trimestral. Disponível em: . Acesso em: 16 mar. 2015.

RECUERO, Raquel. A rede é a mensagem: Efeitos da Difusão de Informações nos Sites de Rede Social. Lo que Mcluhan no previó. 1ed. Buenos Aires: Editorial La Crujía, 2012, 1: 205-223.

RENAULT, Letícia. Comunicação e política nos canais de televisão do Poder Legislativo no Brasil. 2004.

Rossetto, G. P. N., Carreiro, R., & Almada, M. P. (2013). Twitter e comunicação política: limites e possibilidades. Compolítica, 3(2), 189-216.

ROZA, Erick Andre. Net-ativismo: comunicação e mobilização em contextos reticulares. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo, 2012.

SALARELLI, Alberto. Relendo o último capítulo de Understanding media. Um tributo a Marshall Mcluhan no centenário de seu nascimento. INCID, 2011, 2: 3-18.

SANCHEZ, Oscar Adolfo. O poder burocrático e o controle da informação. Lua Nova, n. 58, p. 89-119, 2003.

SILVA, Julianna Rodrigues. O marketing político na comunicação legislativa: a utilização da TV Senado como ferramenta de marketing político pelos senadores. Monografia de Especialização Universidade do Legislativo Brasileiro - UNILEGIS. Brasília/DF, Brasil, 2008.

SODRÉ, Bruno; NASCIMENTO, Solano. O" antijornalismo público" no Jornal do Senado. Rumores-Revista de Comunicação, Linguagem e Mídias, v. 1, n. 1, 2010.

TAVARES, Luis Eduardo; PEREIRA, N. A transparência pública na Era Digital. Artigo nos anais do V Simpósio Nacional da ABCiber, UFSC. Available at http://issuu.com/lucaspretti/docs/atransparenciapublicanaeradigital/1 Accessed on, v. 1, n. 04, p. 2012, 2011.

TÚÑEZ, Miguel; SIXTO, José. Redes sociales, política y Compromiso 2.0: La comunicación de los diputados españoles en Facebook. Revista Latina de comunicación social, n. 66, p. 1-25, 2011.

VALLA, Victor Vincent. Sobre participação popular: uma questão de perspectiva On popular participation: a matter of perspective. Cad. Saúde Pública, v. 14, n. Sup 2, p. 7-18, 1998.

Zago, G., Recuero, R., & Bastos, M. T. QUEM RETUITA QUEM? Papeis de ativistas, celebridades e imprensa durante os# protestosbr no Twitter1 WHO RETWEETS WHOM: The role of activists, celebrities and press during# protestosbr on Twitter.

ZAUNER, Alexander; KOLLER, Monika; FINK, Matthias. Sponsoring, brand value and social media. Rev. adm. empres.,  São Paulo ,  v. 52, n. 6, Dec.  2012 .   Disponível em: . Acesso em:  16  mar.  2015

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Luto

Devido à tragédia ocorrida na minha cidade natal, Santa Maria-RS, voltarei a postar somente daqui a sete dias. Espero que entendam.

Na próxima segunda-feira, 4 de fevereiro, continuarei a série de textos sobre educação financeira.

Abraço ao amigo-leitor!

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Vamos gastar melhor?

Você leu meu texto anterior e chegou à conclusão de que a saída para as suas finanças é gastar menos? Ok, vou tentar ajudar nesta árdua, porém lucrativa tarefa. Se você, além disso, também quer ganhar mais, atente-se ao que escrevo agora, mas volte para ler meu próximo post. Por enquanto, vamos nos virar com o que temos: o salário deste mês, nossas contas a pagar, dívidas atuais e sonhos de consumo.

Temos que dar um passo fundamental no caminho para a liberdade financeira. Primeiro, necessitamos saber onde estamos, para onde vamos e o melhor caminho para chegar lá. Traduzindo, com toda a praticidade: precisamos de um orçamento doméstico. Amigos, não há como fugir disso. O planejamento financeiro passa necessariamente pelo controle de quanto gastamos e no que estamos usando o nosso valoroso ganho mensal. Repare que eu ainda não falei em poupar, nem economizar, pois isto já é um passo avançado. Trata-se, agora, de colocar no papel e em uma planilha de Excel (que já está pronta) quanto você ganha e quanto você gasta em um mês, dividindo os gastos por categorias simples.
Tabela de Excel é aliada no planejamento financeiro
Você sabe para onde está indo o seu dinheiro? É fácil lembrar o principal, como valor do aluguel, a conta de luz, de água, telefone, etc... Mas você sabe quanto gasta em transporte (público ou carro) em 30 dias? Ou o quanto gastou comendo (e bebendo) fora de casa no último mês? E de cinema, contando pipoca e refrigerante? Ah, mas que chatice, Tiago! - alguém deve ter pensado agora. Pois eu lanço o desafio: Faça isso por um mês e veja os resultados. Se não valer a pena, pare! Não esqueça de colocar a família no meio. Afinal, todos vão se beneficiar dos resultados no futuro, então devem contribuir. Gastou, anotou, simples assim. Se você não sabe como inserir o assunto na família, o livro "Vamos Falar de Dinheiro?", de Conrado Navarro, é ótimo e eu recomendo.


Família deve estar unida, na receita e na despesa
Somente depois de ter controle sobre como está gastando o seu dinheiro é que você poderá traçar prioridades e ver onde estão os "exageros" do orçamento doméstico. Está dado o primeiro passo prático do seu planejamento financeiro. Agora, você já sabe onde pode economizar e o quanto vai sobrar por mês para realizar aquele sonho de consumo guardado na gaveta, que vai te trazer uma melhor qualidade de vida.

Neste link, você faz download de uma planilha pronta, de uso simples, feita pelo professor Edson Pamplona. Para um aprofundamento maior, sugiro a leitura do livro "12 Meses para Enriquecer", do professor Marcos Silvestre. Ele é criador de um programa de educação financeira e de um conjunto de calculadoras financeiras práticas, que precisam da leitura do livro para aprender a utilizar.

Para os mais informatizados, há também diversos apps de orçamento doméstico disponíveis para smartphone. As ferramentas existem e só estão esperando que você utilize. O próximo passo para ser um "bom gastador" agora é seu!

E lembre-se que o dinheiro é sempre um meio, e nunca o fim. Enquanto puder proporcionar uma vida melhor para nós e a quem gostamos será bem-vindo (e cada vez mais bem-administrado!).

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Os 4 verbos da Riqueza


Demorei alguns meses para retomar no blog um dos assuntos que mais gosto de falar: Educação Financeira. Quem convive comigo já sabe o quanto me interesso pela abordagem da educação nas finanças pessoais. A partir de 2011, quando comecei a ler sobre o tema, revi muitos conceitos, principalmente aquilo que considero como "riqueza" e "pobreza". Ficou curioso?

Você concorda que tudo o que ganhamos com o nosso trabalho deve ser valorizado e usado para melhorar nossa qualidade de vida? Ótimo, somos dois! A diferença entre o "rico" e o "pobre", na minha opinião, é o rumo que seguem para atingir este fim. Creio que o melhor caminho é baseado em quatro verbos, que devem ser memorizados e praticados nesta ordem:


Ganhar - Economizar - Investir - Gastar

Perceba que entre ganhar e gastar, ainda temos mais duas coisas para fazer com o nosso dinheiro (economizar e investir). O "pobre" (e aí não me refiro ao salário da pessoa, apenas à sua mentalidade) só consegue Ganhar e Gastar. E, às vezes, ainda gasta antes de ganhar!

A tranquilidade financeira passa, necessariamente, por estes quatro verbos (e nesta ordem). Quem não consegue Economizar e Investir sempre acaba tendo mês sobrando no final do dinheiro, quando deveria ser o contrário. Pessoas de todas as classes sociais reclamam que é difícil seguir este caminho, porque não tiveram conhecimento necessário do que deveriam fazer.

Posso afirmar que não existe fórmula mágica, meus amigos. Se você quer mudar de situação e passar também Economizar e Investir, garantindo um futuro melhor do que o INSS reserva para você, há duas alternativas: Ganhar mais ou Gastar menos. Falarei sobre estas duas saídas nos próximos posts.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Aceitar, respeitar, tolerar


Os meus melhores textos, aqueles que eu me orgulho de ter postado neste blog surgiram de alguma provocação muito forte. Algo com o poder de me deixar sem sono, inquieto, sem pensar em outra coisa. E mais uma vez aconteceu.

Aos amigos e a quem possa interessar: sabe por que eu sou (dizem que virei) ateu? Porque não acredito em um deus (ser supremo, criador ou a nomenclatura que for) propagador de intolerância, egoísmo e preconceito entre seus seguidores. Não creio em superioridade de qualquer ser sobre-humano, nem de qualquer humano sobre outro.

Em uma sala, durante uma reunião de negócios, conversava com pessoas de alto gabarito. Algumas já são da minha convivência e as tenho com grande admiração. Outras estou conhecendo agora e demonstram caráter excelente. Entre elas, há relação duradoura que lhes permite compartilhar opiniões sobre tudo que lhes seja próximo ou até mesmo distante. Afinal, o importante é dizer o que se acha certo.

Na TV, aparecem cenas de uma celebração de umbanda. Pessoas vestidas de branco, tocando tambores, entoando pontos de orixás, trazendo oferendas, etc... Duas Pessoas Inteligentes da sala se manifestam, em voz baixa, perceptível a mim:

P.I.1: - Ê macumba...
P.I.2: - Ééé...
P.I.1: - Dizem que são todos boiolinhas!
P.I.2: - Estão todos perdidos.

Para sorte do meu cérebro, o papo parou aí, mas o estrago já estava feito. Olhei para o teto com a mesma feição séria de quando estou pensativo. Era preconceito demais para eu não pensar a respeito. Lembrei de todos os meus amigos gays, lembrei dos meus amigos umbandistas. Passou o filme dos meus seis primeiros anos de vida quando, toda segunda-feira à noite, ia ao terreiro de umbanda bater meu tambor porque eu era filho do pai-de-santo.

Naquela hora, sem conseguir emitir qualquer resposta, apenas senti vergonha de todos e por todos: da nossa humana incapacidade de aceitar as diferenças; da nossa inferior forma de exigir respeito sem respeitar quem nos contrapõe; e da nossa cruel falsidade em apenas tolerar o que não foge da zona de conforto. P.I.1 e P.I.2 continuam tendo a minha consideração, afinal todos deslizamos e até caímos para nos levantarmos depois.

Eu, gerado e criado à imagem e semelhança dos meus pais (pai-de-santo e católica), sou ateu. Acredito no ser humano e que ele pode um dia, melhorando a si mesmo, criar na sua vida o mundo que a maioria almeja para depois da morte. Eu tenho consciência e orgulho do meu passado, ajo no meu presente e estou determinando o meu futuro. Não busco a perfeição nem seres perfeitos, mas se conseguir desenvolver em mim mais aceitação, respeito e tolerância, já estarei muito satisfeito.

sábado, 27 de outubro de 2012

Samba Brasília 2012

Para mim, Brasília já é a Capital do Samba. Nesta terra, cultua-se o jeito mais brasileiro de fazer música. O mês de outubro de 2012 foi um marco importante para não deixar dúvidas de que aqui é o ponto onde ninguém fica parado quando ouve um repique, um tantã e um violão. O Samba Brasília foi um evento para não ser esquecido. O foco ficou no popular pagode, nas músicas românticas, teve um toque de samba-rock, encontro de gerações, um pouco de partido alto e até algumas surpresas. Eu fui, hein, e conto para vocês as minhas impressões direto do camarote, logo atrás dos dois palcos.

Perdi o show do Péricles, devido a compromissos profissionais, mas cheguei a tempo de ver o cantor Belo. Antigos sucessos da década de 1990, dos tempos da banda Soweto,foram a tônica do show. Confesso que não era o meu artista preferido mas, até por isso, foi o que mais me surpreendeu. Não foi por causa das músicas, pois já conhecia bem o seu estilo romântico (sucesso entre as pagodeiras), mas a banda. Amigo, que banda é essa do Belo! Uma percussão de encher os olhos e, principalmente, agradar aos ouvidos do amante do samba.
40 mil pessoas agitaram o Estacionamento do Mané Garrincha
Depois, um dos shows que eu mais aguardava não decepcionou. O Bom Gosto, melhor grupo de pagode da atualidade, colocou o estacionamento do Mané Garrincha abaixo. Como eu já conhecia a presença de palco do grupo e esperava um grande show, não me surpreendi. Só aproveitei. Na sequência, subiu ao palco o Sambô para dar aquela descansada nas pernas da galera. Músicas de ritmos variados adaptados ao samba. Eles poderiam fazer tranquilamente uma banda de rock, porque tem todos os atributos: Baterista nota 10, cordas afinadinhas e vocalista dando show à parte. Ponto também para a percussão. Os caras cumpriram bem o que prometeram. Belo show!
Camarote, atrás dos palcos: ao fundo, belo show do Sambô
Depois do Sambô, tive que dar um tempo para o camarote. Afinal, ia começar a histeria feminina com o Thiaguinho subindo ao palco. Já que não era o meu preferido, só ouvi da praça de alimentação. Voltei para assistir quando o Péricles dividiu o palco com o ex-companheiro de Exalta. A voz do Péricles é, sem dúvida, a melhor que o Exaltasamba já teve em sua história. Tomara que tenha muito sucesso na sua carreira solo.

Já fui com o espírito preparado para as pagodeiras teen. Com o open bar, no entanto, tudo ficou bem fácil. Àquela altura da madrugada, começava a apresentação da Turma do Pagode. Os rapazes fizeram bem a sua parte e embalaram a galera com os sucessos top nas rádios. Estava lá o fã-clube com todas as letras na ponta da língua. Destaque para a simpatia e humildade dos músicos que chegaram para conversar com o público do camarote. Para mim, a Turma foi o aquecimento para o melhor show da noite.
Regina Casé anuncia os shows da noite para esquentar a galera
Revelação! Foi a primeira vez que os vi em palco. O grupo que não reduz sua qualidade superior desde o primeiro sucesso. Na verdade, nota-se que eles não querem ser os melhores, mas são. Todos os integrantes deram a volta ao palco, dando a chance à galera do camarote de ver estes ícones do samba bem de perto. Os caras apenas deixaram acontecer naturalmente, mas o show passou na velocidade da luz. O que é bom dura pouco, mas o que é ótimo fica na memória. De quebra, um garotinho subiu ao palco pelas mãos da apresentadora do evento, Regina Casé, pegou um cavaquinho e deu um show à parte para as 40 mil pessoas presentes. Amigo, foi inesquecível!
Xande de Pilares recebendo o Salve! da galera do camarote
Se eu cansei de escrever este texto, imagina depois de 8 horas em pé ouvindo pagode e bebendo cerveja. Difícil, não? Não. Ainda tinha o Jeito Moleque que completou a pagodeira teen da noite e fechou com estilo o Samba Brasília. Ano que vem tem mais e vai ser em dois dias. Não começou a venda de ingressos, mas já estou confirmado. 

Samba! 

Brasília!

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Marketing de Rede X Pirâmides Financeiras


Texto retirado do site: http://www.igpromo.com.br/artigos14.asp

Com a rápida evolução das grandes tendências atuais, percebemos que nem todas as informações estão ao nosso alcance, no sentido de acompanhar, de forma satisfatória, tal evolução, pois devido a sua grande extensão, alguns se empenham em focar num determinado assunto ou abranger um conhecimento superficial sobre questões relevantes do mundo atual. 


Sendo o Marketing de Rede, também denominado Marketing Multinível, uma nova tendência da área de Marketing, pouco foi divulgado ou feito a respeito de um estudo mais aprofundado sobre o mesmo, de forma a torná-lo um assunto de corrente divulgação entre o meio empresarial, acadêmico e social.


Atualmente, este vem se tornando um assunto relevante e de interesse também dos meios de comunicação, ao fato de que dados atuais revelam o seu crescimento e um melhor entendimento sobre a sua forma de atuação, com resultados satisfatórios. Possivelmente pelo não-entendimento da distinção entre pirâmides financeiras e Marketing de Rede, muitas pessoas se referem a ambos como sendo de mesma atuação.

Ocasionalmente, isso vem gerando ao sistema de Marketing de Rede problemas quanto a sua imagem devido à percepção que o público passa a ter a respeito deste como empresa inescrupulosa e sem ética.

Como o Marketing de Rede é uma forma de venda direta, também conhecido como Marketing Multinível ou venda direta multinível, vem-se comprovando que este é um método altamente eficiente e de sucesso para compensar os revendedores diretos pela colocação e distribuição de produtos e serviços diretamente aos consumidores.

A WFDSA - World Federation of Direct Selling Associations e as Associações de Venda Direta têm demonstrado, com os códigos mundiais de conduta, o compromisso de seus membros com práticas justas e éticas no mercado. A WFDSA, fundada em 1978, é uma organização voluntária não-governamental que representa globalmente a indústria de vendas diretas como uma federação nacional de associações de vendas diretas (Direct Selling Association - DASs).

Existem, atualmente, mais de 50 DASs nacionais que participam da federação, sendo que em 1997 as vendas globais a varejo de seus membros foram estimadas em mais de 80 bilhões de dólares, com o trabalho de mais de 25 milhões de revendedores autônomos. A WFDSA reconhece a necessidade de condutas éticas no mercado aprovando, em 1994, o Código Mundial de Conduta para a Venda Direta, o qual todas as associações nacionais precisam incluir em seus códigos nacionais. 
O Código Mundial de Conduta em Vendas Diretas traz
·         satisfação e proteção aos consumidores
·         proteção aos revendedores diretos
·         promoção de competição justa dentro dos moldes da empresa
·         representação ética das oportunidades de ganho da indústria 

O código é uma medida que visa a auto regulamentação da indústria de venda direta.
Não há leis, mas o cumprimento do código requer um nível de comportamento ético que excede requerimentos legais nacionais. 

Cabe, então, esclarecer exatamente a diferença entre pirâmide e o sistema de Marketing de Rede: 

Pirâmide Em um conceito básico, o sistema de pirâmide é um esquema de recrutamento de pessoas, gerando renda somente do recrutamento de novos membros e da cobrança de taxas, sem que nenhum produto ou serviço real seja movimentado.

Portanto, a recompensa ocorre apenas com a adição de novos participantes e com os investimentos destes, e não com a revenda ou a distribuição de produtos ou serviços com função comercial legítima. Sem sustento comercial, o número de recrutas disponíveis é finito e, aritmeticamente, recrutas posteriores possuem menor chance de enriquecer do que os promotores do esquema.

Conseqüentemente, este esquema tem vida curta, e os que por último ingressarem praticamente não possuem nenhuma chance de recuperar as suas taxas de inscrição ou de se beneficiarem com o esquema. Na falta de um produto real, tais esquemas tentam coagir as pessoas, garantindo serem empresas legítimas que operam um plano de Marketing de Rede.


Porém, os produtos de venda utilizados por este sistema não possuem nenhum valor de mercado por serem falsos certificados, programas de treinamento, assinatura de revistas, descontos ilusórios, tratamentos ineficientes e outros. As pessoas recrutadas adquirem estes produtos sem perspectivas de revenda ou possibilidade de devolução do valor pago por eles.

A evolução do Marketing de Rede, num contexto geral de Marketing, é a junção do Marketing de Relacionamento, que visa a qualidade do relacionamento com o cliente, e o Marketing Direto, que vem a ser o relacionamento direto entre vendedor e cliente. 


Portanto, o Marketing de Rede possibilita o relacionamento direto do distribuidor (vendedor) com o cliente, de forma a manter uma qualidade de relacionamento entre ambos, pois tal sistema só se consagra com a permanência de um relacionamento direto a longo prazo. 

O Marketing de Rede é um sistema de distribuição ou uma forma de Marketing que movimenta bens e serviços, do fabricante para o consumidor, por meio de uma rede de contratantes independentes.

É uma maneira de organizar e remunerar revendedores envolvidos em vendas diretas. Possui um plano de remuneração de vendas diretas no qual revendedores podem receber ganhos de duas maneiras. Primeiramente, revendedores podem receber compensações por suas revendas pessoais de produtos e serviços a consumidores.

Segundo, os revendedores podem ser remunerados pelas revendas ou compras de pessoas que ele próprio recrutou e patrocinou no plano, podendo também ser remunerado com base nas revendas do grupo ou da rede que foi recrutada e patrocinada por pessoas por ele previamente recrutadas. Portanto, é uma oportunidade para os revendedores estabelecerem o seu próprio negócio, revendendo bens e serviços e desenvolvendo e treinando uma organização ou uma rede de revendedores por eles patrocinados para fazerem o mesmo.

Sendo assim, uma companhia de distribuição multinível significa qualquer pessoa, empresa, corporação ou outra entidade de negócio que venda ou distribua um bem ou serviço por meio de agentes independentes, contratantes ou distribuidores, e tais participantes podem recrutar outros participantes.

Comissões, bônus, restituições, descontos, dividendos e outras considerações do programa são ou devem se pagas como resultado da venda de tal serviço, produto, recrutamento, ações ou desempenho de participantes adicionais. Um dos pontos-chaves para as empresas deMarketing de Rede tem sido inserir o foco no consumidor em todo o processo de desenvolvimento de produtos. Cada produto é criado e fabricado como se a empresa estivesse atendendo a um pedido de consumidor.

Por esta razão, o processo começa com uma avaliação detalhada para assegurar que o produto vai atender às necessidades e às expectativas do consumidor. Tal avaliação terá continuidade em cada estágio de desenvolvimento do produto, passando por pesquisa de mercado, análise e desenvolvimento de protótipos e testes com consumidores, até o produto final.

Tais empresas possuem uma equipe de profissionais altamente qualificados e treinados para atender às necessidades dos distribuidores, de forma a ajudá-los com todas as orientações necessárias para que o negócio se desenvolva cada vez mais. As mesmas apoiam seus distribuidores com um ativo programa de treinamento.

Além disso, os novos distribuidores recebem estímulos dos mais experientes, além de conselhos e de toda ajuda necessária para o início de suas atividades. Pouco a pouco, à medida que aprendem mais sobre os produtos, o plano de vendas e o Marketing da empresa, eles podem desenvolver os seus negócios independentes sobre uma base sólida e atingir o sucesso desejado.
Copyright 2004 - Liliana Alves Costa
Liliana Alves Costa é Mestre em Administração de Empresas, professora universitária e consultora de empresas.

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Sobre blogs e blogueiros


Escrever é, antes de tudo, um ato de doação.

Li esta frase em um dos meus blogs preferidos há algum tempo. Esta é a pura verdade. Quando criei meu primeiro blog, lá por 2004, queria só falar sobre o meu cotidiano, meus gostos ou qualquer outra coisa que me desse na telha. Mas quando eu sentava na frente do computador, lembrava de alguma pessoa que tinha encontrado horas antes e havia me dito algo do tipo: "Cara, descobri teu blog e achei muito legal."

Daí eu comecei a entender que a característica dos conteúdos na internet não podia ser tão personalista. Por isto, alguém, há zilhões de anos, criou um negócio chamado diário. Ali, as mulheres (e até alguns homens, xiii) escreviam aquilo que só interessava a eles mesmos. Já na web, há pessoas que leem e aprovam, reprovam ou ignoram o que está postado.

Esse é o âmago deste blog. Conteúdos interessantes para mim e para o meu público-alvo, principalmente os meus amigos. Os blogs que eu leio também são feitos assim: assuntos específicos, com alguma informação, muita interpretação e opinião bem postada. Era exatamente aí onde eu queria chegar.

Não visito blogs porque são confiáveis. Não visito porque são críveis. Não visito para me informar. Eu entro lá para ler, buscar opiniões, vários lados da mesma história. Enfim, para conhecer o contraditório. É até comum eu ler blogs com opiniões totalmente contrárias às minhas, apenas para fugir das armadilhas de quem pensa estar certo sobre tudo. Nada melhor do que uma opinião contrária, bem fundamentada, para nos fazer refletir sobre um assunto, mudar nossa visão ou correr atrás de reforçar nossos argumentos.

Então, amigos, é com muito orgulho que eu sentencio: aqui neste blog você não achará a verdade. Porém, também não encontrará mentiras. O que se escreve aqui é simplesmente a minha visão sobre assuntos que me chamam a atenção e têm algum interesse aos meus amigos e visitantes ocasionais.

A propósito, gostei de escrever sobre isso.

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Não nos deixeis cair em prestação!

Gostaria de ter tido aulas de Educação Financeira no colégio. Recente pesquisa da Proteste Associação de Consumidores mostrou que as famílias brasileiras comprometem 42% da renda com dívidas e, a maioria delas, está nesta situação porque não sabe como lidar com o dinheiro. As pessoas que têm pouca renda, cerca de um salário mínimo, fazem contorcionismo para sobreviver, é verdade. Mas os demais são vítimas da própria falta de planejamento. 

Notícia do G1 - Famílias comprometem 42% da renda em média com dívidas, diz pesquisa

Notícia do Portal IG - Brasileiros têm entre 11% e 50% da renda comprometida

Está na mente das pessoas que o caminho da dívida, do financiamento, das "suaves prestações", é o único para realizar seus sonhos de consumo. Até o ano passado, eu era um destes. Sonhava com o dia em que financiaria por 500 anos um apartamento para chamar de meu e fugir do aluguel. Até que, numa passada rápida pelo Boulevard Shopping, vi um livro na vitrine da Saraiva que me chamou a atenção. Estava escrito na capa: Investimentos À Prova de Crise.

O preço do livro era convidativo, comprei e comecei a ler naquela dia. Com a didática impressionante do autor, Marcos Silvestre, aprendi que há outros caminhos financeiros bem menos dolorosos do que pagar juros eternamente para os banqueiros milionários do nosso país. A principal mudança de pensamento é que "investimento é o que te dá juros, o que te cobra juros se chama dívida".
Os livros não trazem fórmulas mágicas, mas ensinamentos úteis para educar o bolso. Foto: Blog da Virada Link de Origem

Não tive dúvidas e comprei o outro livro do mesmo autor: 12 Meses Para Enriquecer - O Plano da Virada. Agora, você deve estar pensando: "Xi, deu Síndrome de Tio Patinhas no Tiagão... Virou um avarento!" Nada disso, amigo-leitor. Enriquecer, para mim, não é ter muito dinheiro (muito menos, ficar milionário). É, apenas, viver com liberdade, boa qualidade, ter controle sobre o próprio dinheiro e não deixar que ele te controle. Saiba que apenas não empobrecendo, nem devendo à toa, você já está enriquecendo. Afinal de contas, quando valorizamos o nosso ganho honesto, estamos valorizando o nosso próprio trabalho. Nada mais justo, não é mesmo?

Boa parte dos amigos que visitam este blog são de classe média (ou estão a caminho), tiveram oportunidade de estudar e tem vários sonhos a realizar, estou certo? Como acertar na Mega está difícil, só ralando bastante para chegar lá. Não tivemos Educação Financeira no colégio para nos ajudar nessa caminhada, então, cabe a nós mesmos correr atrás do tempo perdido. Não é tarde para aprender. Se achar um desses livros que citei aqui na Saraiva, Leitura, Cultura, Livraria da Mente e outras, dá uma lida porque vale o investimento. 

Se não encontrar, dá para ouvir as dicas, em pílulas, no site do autor: Blog da Virada. 

Não conheço pessoalmente o professor Marcos Silvestre. Porém, quem me conhece sabe que não tenho medo de indicar e elogiar quem eu admiro pelo trabalho. Da mesma forma, não piso no freio antes de criticar os enganadores de plantão. Então, aproveitem a dica, amigos.