terça-feira, 20 de março de 2012

A vitória do Ctrl C + Ctrl V


Unanimidade. Duzentos pontos, nenhum décimo perdido na apuração. Superioridade incontestável. Assim foi o desfile da campeã do carnaval 2012 de Santa Maria, Barão de Itararé. Todos concordam que a disparidade foi muito grande da vencedora para as outras sete concorrentes. Mesmo assim, a polêmica sobre o resultado continua porque as fantasias que encantaram a todos nas arquibancadas e nas imagens divulgadas eram de segunda mão. Todas haviam sido usadas no carnaval de Uruguaiana pela escola Unidos da Cova da Onça, campeã naquela cidade, e foram confeccionadas no Rio de Janeiro.


Até hoje, o carnaval de Santa Maria passou por diversas fases, tendo inúmeros destaques no passado e outros tantos no presente. O desfile deste ano abriu novas portas. Um caminho parecido com o que foi adotado por Uruguaiana, onde o carnaval fora de época virou a principal atração turística da cidade devido a sua beleza estética, profissionalismo dos diversos setores e alto investimento do poder público. Porém, Santa Maria ainda carece de apoio da prefeitura (que é muito acanhado), dispõe de "amadores" (porque não recebem pelo trabalho) na maior parte dos setores das escolas de samba e toda a beleza trazida neste carnaval foi simplesmente copiada de outro desfile, mesmo com enredos diferentes.


Ala da escola de samba Unidos da Cova da Onça, de Uruguaiana.
Foto: Site Samba Sul. Link de Origem


Uma apresentação de escola de samba é composta por várias áreas e julgada por alguns quesitos independentes. Não contam apenas a beleza e o luxo, embora sejam as partes que mais chamam a atenção do público, mas também qualidade do samba, bateria, harmonia, evolução e, principalmente, na minha opinião, a história (enredo) bem contada


A mesma fantasia na escola de samba Barão de Itararé, de Santa Maria.
Foto: Ronald Mendes/Agência RBS. Link de Origem


Como carnavalizar uma história com as mesmas fantasias ou alegorias que já foram usadas em outro enredo? Como alguém que desfila vestido da mesma forma pode significar duas coisas diferentes em dois desfiles? A criatividade não conta mais em uma escola de samba? Qual a função de um carnavalesco: desenhar, montar e dirigir a apresentação do seu enredo ou utilizar a obra de outros e remendar uma história que já foi contada?


Nestes meus 26 anos de idade, é claro que não tenho respostas definitivas para estas perguntas, mas tenho minhas opiniões formadas, depois de dispender um tempo considerável como “amador” da folia. Creio que a simples cópia de outros desfiles, por melhores que eles sejam, não representa a verdadeira evolução do carnaval de Santa Maria. Nós temos material humano competente para elaborar um ótimo resultado na Avenida Liberdade. É claro que queremos e precisamos dar muitos passos à frente e cidades como Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre e Uruguaiana, por exemplo, têm muito a nos ensinar


Então, o melhor é ter humildade e aprender. Fazer excursões para barracões e ateliês, participar de oficinas, trazer os melhores profissionais de fora durante o ano para passarem adiante as suas experiências, adquirir materiais de primeira linha para a confecção de fantasias e carros alegóricos mais impactantes, criativos e resistentes. Parece difícil, pois requer trabalho e esforço de muita gente. Já está provado que copiar e colar na Liberdade é muito mais fácil, frio, calculista, dá títulos e enche os olhos de quem vê. Por outro lado, nada se compara a um carnaval criado em casa com qualidade superior no trabalho e um toque a mais de emoção. Não basta ter taça no armário, tem que ser campeão na vida para fazer assim.

2 comentários:

Danielle disse...

tiago, não vejo nada demais em usar fantasias de segunda mão.aqui em uruguaiana acontece isso há anos!não há dinheiro suficiente nas escolas e não há apoio suficiente da prefeitura.as escolas se viram do jeito que podem.claro que, aqui, algumas vezes, do jeito errado, mas isso é uma outra história.
fico muito feliz que o carnaval em santa maria esteja crescendo.não há expressão mais popular neste país!
em uruguaiana a cidade ama o carnaval e não se importa se a fantasia foi usada na tijuca ou na restinga. o povo quer a festa, quer a entrega da escola.o povo quer é carnaval.
beijo, dani.

Tiago Medeiros disse...

Achei muito bonito tudo o que eu vi na avenida Dani, assim como em Uruguaiana, o carnaval também é muito bonito. A prefeitura daí investe milhões. Mas carnaval não é só festa, carnaval é principalmente arte e cultura, coisas que não se copiam, se fazem. Já conheci lugares que nunca fui, aprendi sobre pessoas de quem nunca tinha ouvido falar e conheço inúmeras histórias somente através de desfiles e de sambas-enredo. Cada desfile pra mim é único. Se em algum lugar, é feito de forma melhor, acho melhor ser aluno e aprender a fazer do que embalar pra viagem e reprisar. Mas é claro aplaudo todos aqueles que fazem carnaval, do jeito que conseguem.

Beijos! Saudades da colega.